Elon Musk Pode se Declarar DONO de Marte?

Para quem não está familiarizado com o nome, Elon Musk é o bilionário filantropo que ficou muito conhecido como ser uma espécie de TONY STARK da vida real.

elon musk apontando o dedo
Elon Musk - Getty images.


O próprio ator Robert Downey Jr, chegou a passar um período com o bilionário para entender melhor como funciona a mente e o estilo de vida de Elon.

Além disso, é responsável pela criação do Paypal, SpaceX e possui maioria nas ações da Tesla Motors.

E isso é apenas uma pequena parte dos inúmeros projetos que Elon segue.

Entretanto, recentemente ele tem ficado muito mais popular com os projetos associados à SpaceX - primeira empresa de viagem espacial privada - que atualmente presta serviços para a NASA.

Ele clama que poderá levar a humanidade para marte em menos de 10 anos no entanto, uma pergunta fica no ar.

Elon Musk poderia se declarar DONO do terrítório do planeta Marte?



Bem, ele pode reivindicar qualquer coisa que ele queira.

 - que não está aqui nem ali -

 é quem RECONHECERÁ a sua reivindicação que é importante.



É muito certo que nenhum governo terrestre respeitável o fará.



O direito internacional diz que nenhum país pode reivindicar qualquer terra em qualquer corpo celestial.


Portanto, se Elon disser "é um país", instantaneamente, não há outro país que provavelmente reconheça Marte como um país também.

As leis que governam o espaço são praticamente idênticas às leis das águas internacionais no mar.

  1. Você tem o direito de ir para lá.
  2. Você tem o direito de morar lá.
  3. Você tem o direito de extrair recursos (pescar, perfurar petróleo, extrair rochas de Marte, etc.).
  4. As leis que se aplicam a você são as do país em que seu veículo / habitat foi registrado - e, se não, o país a partir do qual você iniciou sua jornada.
Existem alguns grandes exemplos dessas coisas em ação no "alto mar".

SEALAND - UM GRANDE EXEMPLO:


A história de "O Principado de Sealand" é instrutiva.

"HM Roughs Tower" é uma ilha artificial nas águas internacionais - colocada pelos britânicos durante a Segunda Guerra Mundial como uma bateria antiaérea. Após a guerra, foi simplesmente abandonada.


Em 1967, um cara chamado Paddy Bates mudou-se e sua família para a Roughs Tower (o que é bom porque está abandonada e em águas internacionais) - e em 1975 declarou a ilha "O Principado da Terra do Mar", como governante.

Ele fez uma linda bandeira, acrescentou o lema “E Mare Libertas”, compôs um hino nacional… etc.

Ele imprimiu passaportes, dinheiro, selos etc. - e obteve uma pequena renda com a venda. Ele também vende títulos - você pode se tornar um Cavaleiro, Barão, Senhor, Senhora ... por uma certa quantia de dinheiro, é claro!


Previsivelmente (e importante para esta pergunta), nenhum outro país jamais reconheceu a SeaLand como um país. Seu passaporte não é válido para nada, seu dinheiro literalmente não vale o papel em que foi impresso ... mas, curiosamente, algumas agências dos correios que não prestaram muita atenção nos selos permitiram o uso deles para postar cartas!

A questão aqui é - alguém deveria se preocupar com isso?

SIM, Definitivamente sim!

Em 1978, um cara chamado Alexander Achenbach afirmou ser o primeiro ministro da SeaLand ... o que é bom, você pode reivindicar ser o que diabos você quer.

Até que ele contratou um bando de mercenários para atacar a ilha enquanto Bates e sua esposa estavam no Reino Unido. Eles atacaram em lanchas, jet skis e helicópteros - com armas e munição real e tomaram o filho adolescente de Bate como refém!

Houve apelos urgentes da família real de Sealand (agora no exílio) por ajuda dos governos britânico e alemão ... e eles fizeram NADA PRECISAMENTE.

É o que acontece quando você cria seu próprio país e nenhum outro governo o reconhece.

Mercenários armados podem atacar o seu "país" e sequestrar os membros da sua família com uma arma de fogo - e ninguém o ajudará.

A saga de SeaLand continua quando o filho consegue chegar a um esconderijo secreto de armas e retomar a ilha - aprisionando o “Primeiro Ministro” por um resgate de US $ 23.000… então mais apelos do outro lado por sua libertação… e adivinha? NINGUÉM AJUDOU.

Esse absurdo continuou por algum tempo.

Em 1994, a situação foi esclarecida na "Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar":

"Ilhas, instalações e estruturas artificiais não possuem o status de ilhas. Elas não têm mar territorial próprio e sua presença não afeta a delimitação do mar territorial, da zona econômica exclusiva ou da plataforma continental".

... que teve o efeito de tornar o "não fazer nada" ainda mais firmemente enraizado no direito internacional ... e já que Sealand é uma ilha artificial ... ainda não é reconhecida.

As leis internacionais relativas ao espaço são as mesmas.


Então, com certeza, você pode ser como a família Bates - se declarar um "país" e observar que efeito isso tem...

Se você quiser ler mais, leia o artigo da Wikipedia Principado de Sealand - Wikipedia e visite o site da SeaLand no Principado de Sealand.

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Eita, bem interessante esse post, não teria pensando nesses pontos nunca por conta própria hahh

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião e nos ajude a crescer!
Tenha consciência das politicas de comentários do Google!
Seja educado e gentil.