Investidores Conservadores Dormem Tranquilos

investidores conservadores dormem tranquilos

Investidores conservadores dormem tranquilos.

Seria este um mito? Uma verdade? Quais os princípios dos investimentos considerados conservadores? Minha opinião sobre e muito mais a seguir.

Livro 


[1] Muito das nossas regras de compra-e-guardar da filosofia de investimentos Rule Maker são derivadas dos escritos de Philip Fisher, um dos investidores mais influentes de todos os tempos, hoje gostaria de falar um pouco sobre o livro de Fisher, Conservative Investors Sleep Well.

Nesse livro, Fisher se concentra nas características dos investimentos conservadores. Por conservador, Fisher entende como um investimento que deverá “conservar (ig manter) o poder de compra a risco mínimo” Fisher divide esses investimentos em quatro dimensões, que referenciarei como 

  1. Marketing
  2. Pessoas
  3. Singularidade 
  4. Valuation. 

1. Marketing


A primeira dimensão é relativa a superioridade de produção, pesquisa de marketing, e habilidade financeira. A melhor medida de habilidade superior de produção é a margem bruta. 

Fisher quer investir em companhias que sejam produtoras de baixo custo ou aptas a produzir com um custo em linha com seus concorrentes. Isso se assemelha um pouco com o nosso desejo de investir em companhias que apresentam uma margem bruta superiores a 50%, como definido na nosso Critério Rule Maker .


As razões de Fisher procurar por produtores de baixo custo são as mesmas que as nossas.


Ser um produtor de baixo custo permite a companhia ter mais chances de sobreviver em um Mercado de baixa. E também permite a companhia gerar internamente uma porção significativa dos fundos necessários para financiar seu crescimento no futuro. 

Fisher lembra que estando apta a financiar o crescimento a partir das operações diminui a necessidade da empresa emitir mais ações ou criar novas dívidas. Ele acredita que o pagamento de juros fixos, que provém das dívidas, aumenta significativamente o rico da ação. Nós concordamos.

A única diferença entre o nosso foco e o foco da margem bruta de Fisher é que ele requer apenas que a companhia seja a líder em sua indústria - com qualquer margem bruta. O nosso foco, por sua vez, fica nos negócios leves que conseguem descarregar em dobro seus custos para produzir seus produtos (margens brutas acima de 50%).

Fisher também gasta um tempo razoável procurando por grandes times de marketing e grande força de vendas. Uma companhia com marketing forte é aquela que está sempre pronta a responder as necessidades dos seus consumidores fornecendo aquilo que eles estão precisando hoje, e não aquilo que eles precisaram ontem. Isso quer dizer que elas conseguem responder dentro do tempo a mudança de gosto de seus consumidores. 

Isso significa também que a companhia é capaz de manter seus consumidores cientes das vantagens de seus produtos e serviços.

Fisher também procura por companhias que fazem investimentos na pesquisa de novas tecnologias. As novas tecnologias normalmente oferecem oportunidades de se produzir coisas novas e melhores, bem como, realizar serviços de uma forma melhor ou a um custo mais barato. 

É importante também que esse time de pesquisa trabalhe junto com o time de marketing para assegurar que seu trabalho esteja alinhado com aquilo que o mercado está querendo agora.

De acordo com Fisher, as habilidades financeiras também são criticas no processo. É importante para uma companhia saber, com algum grau de precisão, quanto custa fabricar determinado produto. Se não fizer isso, ela não saberá onde focar para conseguir ganhos máximos. E ainda mais, a contabilidade conservadora e a projeção cuidadosa são uma necessidade nas companhias de Fisher.

E ainda tem um pouco mais...

2. Pessoas


Fisher chama essa segunda dimensão de “investimento conservador” de fator pessoas. 

O que o investidor está procurando aqui é um Chefe executivo (CEO) que seja dedicado ao crescimento de longo-prazo e que se cerque de um time de pessoas extremamente competentes que tomam conta das várias divisões e funções dentro da companhia. 

E mais, a companhia deve possuir talento suficiente dentro dos seus quadros para se auto-promover.

É também importante criar uma ambiente de trabalho que façam com que trabalhadores de todos os níveis achem a companhia um bom lugar para se trabalhar. 

Como regra geral, esses trabalhadores que estão felizes com seu lugar de trabalho têm resultados melhores do que aqueles que não estão. Greves recentes nas companhias tais como as que ocorreram na General Motors e na Northwest Airlines são exemplos de situações que podem causar problemas para a empresa e seus donos.

3. Singularidade


A terceira dimensão se foca em saber se a companhia é capaz de fazer certas coisas que outras não conseguem fazer tão bem. 

O foco aqui é se o negócio possui certas características inerentes que lhe permitam uma lucratividade acima da média, não apenas no presente, mas também no futuro. Uma forma pela qual isso pode ser medido é na forma de margem de lucros que nós procuramos nas companhias “Rainhas do caixa”. Possuir uma alta margem de lucros ajuda no crescimento futuro.

Parte do fluxo de lucros ganho pela companhia deverá ser empregado em atividades como pesquisa e desenvolvimento, testes de marketing, marketing de novos produtos, e todos outros custos operacionais necessários para expandir o negócio. 

Em todo caso, é importante lembrar-se que companhias cometem erros. Embora todos nós desejemos obter sucesso, temos que atentar para o fato que isso pode não acontecer. A companhia deve estar apta a financiar, sobreviver e aprender tanto com seus sucessos quanto com seus erros.

4. Valuation


A quarta dimensão se relaciona com a valuation. Fisher coloca o risco básico de todos investimentos em uma escala. 

Na parte inferior da escala estão aquelas companhias que se saíram muito bem nas três primeiras dimensões e que não são muito bem consideradas pela comunidade financeira. As menos arriscadas são aquelas companhias que se saíram bem nas três primeiras características e estão sendo comercializadas em linha com as suas características fundamentais.

Um passo adiante desse grupo estão aquelas companhias que são igualmente fortes nas três primeiras dimensões, mas não são muito bem vistas pela comunidade financeira e que aparentam estar subavaliadas. Fisher acredita que esse tipo de investimento se enquadra melhor em “manutenção” do que como “compra”. 

A maior razão para ele acreditar que vale a pena manter é que seus fundamentos ainda são genuinamente fortes, então através dos tempos eles provavelmente irão aumentar seus lucros de tal forma que justifique não apenas os preços correntes, mas também preços maiores.

Quando se trata de ações Rule Maker, nós acreditamos que, mesmo que uma ação caia nesse grupo, ela pode ser considerada como uma compra inicial. Embora, quando acrescentamos mais dinheiro as nossas ações, como regra geral, estaremos adicionando aqueles grupos que se encaixem nos dois primeiros critérios de risco de Fisher.

Abaixo desses três grupos estão quaisquer companhias que não se enquadram nos critérios de Fisher. Ele nos lembra que você não poderá, fazer um investimento inteligente em uma companhia medíocre se você a estiver comprando para o longo-prazo. Não importa qual seja o preço da ação. Nós concordamos.

Opinião pessoal e análise.

Há varias formas de investir na bolsa. Uma delas é chamada de "value investing". Que consiste em analisar as empresas e selecionar aquelas que no momento possam ter o preço de suas ações não condizentes com o valor da empresa. Isto ocorre muitas vezes porque o mercado sobre reage ou exacerba a reação a algumas noticias ou circunstâncias.

Claro que pensando nisso você tem que ter um horizonte mais longo de investimento e não querer retornos a curtíssimo prazo. Além disso boas empresas pagam dividendos. Nunca subestime a força dos dividendos reinvestidos.

A estratégia é a de ter portfólios balanceados de forma tal a que nenhuma ação isolada possa causar um estrago irreparável. Isto se consegue selecionando ações com pouca ou nenhuma correlação.

Há um estudo muito sério que mostra que simplesmente fazendo um balanceamento entre um portfólio de ações e letras do tesouro se consegue retornos interessantes.

Vamos dizer que você coloque 70% em ações e 30% em LTNs. Sempre que as ações subirem você vende o excesso e compra mais LTNs.

Se as acoes caírem você vende LTNs e compra ações o suficiente para manter a proporção em valor de 70% e 30%. Não precisa adivinhar para onde vai o mercado, alias você nunca deve fazer isso, que é o que inexperientes tentam fazer.

Apenas faça a conta e estabeleça por exemplo, que quando as suas ações valorizarem ou desvalorizarem 10% você vende e compra LTNs e vice-versa. É chocante o retorno acima do mercado que se consegue e também desta forma se minimiza bastante o risco.

Você pode escolher 60% e 40% de forma mais conservadora ou mesmo 50%/50%, desde que você faça o balanço em valor.

Vou dar um exemplo, você tem 100 mil e coloca 70 em acoes e 30 em LTNs. Depois de um período, as ações valorizaram 23% e as LTNs 4%, então você tem 86.100 em ações e 31.200 em LTNs com um total de 117.300. Então as ações agora representam 73% e as LTNs 27%.

Então você deve vender 2.583 das ações e comprar LTNs. Seu portfólio balanceado será de 83.517 em ações e 33.783 em LTNs, exatamente 70/30%.

Se acontecer o inverso ou seja as ações caírem você vende LTNs e compra ações.

Há uma grande vantagem nisso, você apura os lucros e também vai estar fazendo o contrário dos investidores em geral, que sempre compram na euforia e vendem quando acontece uma baixa, sempre perdendo muito.

Esta mesma estratégia pode ser melhorada com uma outra série de medidas mas fica para uma próxima conversa. Bons investimentos e se você começar agora vai se dar muito bem uma vez que as ações estão super baratas devido a COVID.

Bom investimento e sucesso!!

Esse post não é recomendação nem incentiva nenhuma prática financeira direta, isto foi elaborado apenas para fins de estudos, opiniões e traduções.

Postar um comentário

4 Comentários

  1. Muito legal IR, parece que estamos em sintonia ahahah. Meu post de amanhã que já está programado sobre o livro O investidor inteligente. Eu tenho um canal que pretendo colocar as informações do livro lá e no blog eu vou colocar uma análise crítica. Fiz o canal pq já li muitos livros e queria passar isso pra quem quer ter um acesso rápido.
    Os livros do Philip Fisher são muito bons, ele foi um dos primeiros escritores que matei (ler os livros) e pretendo falar dele mais pra frente.

    Sobre o balanceamento, eu concordava muito no começo, mas acabei mudando a mente de uns tempos pra cá, mas a alocação por % é uma das melhores pra uma carteira passiva ou semi ativa.

    Quais livros você mais leu? Quero ver se rola uma indicação de algum que não conheço xD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei o seu canal, seu conteúdo é único e com certeza irá longe no YT.

      Sobre os livros, pretendo ir fazendo posts aos poucos sobre os meus favoritos, mas ultimamente tenho focado muito em filosofia.

      Vou fazer uma lista e publicar ainda essa semana!

      Abraço.

      Excluir
  2. Muito bom, conhecimento sempre agrega! por mais posts assim !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que honra! Stifler é um dos mestres da finansfera!

      Fez meu dia um elogio vindo de ti, colocarei meu empenho em mais posts como este!

      Abraço.

      Excluir

Deixe sua opinião e nos ajude a crescer!
Tenha consciência das politicas de comentários do Google!
Seja educado e gentil.